O consumo de energia nos condomínios é uma grande dor de cabeça. Por ter diversos moradores em ambiente de uso comum, é normal que os gastos com eletricidade sejam maiores.

Através da regulamentação da energia solar, já é possível utilizar painéis solares em condomínios desde 2012, possibilitando economia para todos. No entanto, na hora de implementá-los surgem algumas dúvidas sobre o seu funcionamento, manutenção, custo e quais serão os resultados obtidos com essa adoção. Pensando nisso, separamos essas informações neste artigo para você. Confira na sequência!

Como funciona a energia solar em condomínios?

Basicamente, a energia fotovoltaica, como também é conhecida, é produzida por meio de módulos fotovoltaicos, que tem células semicondutoras que, ao serem atingidas pela radiação solar, captam e a transforma em eletricidade. Nesse processo, os inversores a modificam em corrente alternada e distribuem para todos os ambientes.

Em condomínios, existem duas formas de ocorrer essa distribuição. Uma delas é a geração para as áreas comuns, como salão de festas, piscinas, portaria e academia. A outra é a instalação de um sistema único que atenda todos os moradores, dividindo a energia gerada da forma desejada.

Como trata-se de múltiplos moradores em um único espaço, para instalar esse sistema, é necessária a aprovação da maioria em assembleia. Além disso, as normas regulamentadoras da ANEEL, exigem que apenas profissionais capacitados o implementem, para garantir que os aspectos do projeto sejam executados corretamente.

Qual o espaço necessário para os painéis solares em condomínios?

Por ficar geralmente sobre telhados, os módulos fotovoltaicos se adaptam bem em qualquer estrutura. No entanto, deve ser verificado o espaço disponível para a instalação, pois cada módulo mede 2 x 1 metros. Mas não se preocupe, se não houver espaço suficiente, ainda é vantajoso a instalação deste tipo de tecnologia.

Quanto custa?

Você deve estar se perguntando quanto custa para gerar sua própria energia proveniente do Sol. Para se ter uma ideia, imagine um condomínio que tenha um gasto mensal de R$ 2 mil a R$ 3 mil com energia elétrica. Nesse caso seriam necessários cerca de 40 módulos fotovoltaicos e uma área de 87m² para a instalação do sistema fotovoltaico.

Contudo, com um planejamento financeiro, é possível cobrir esse investimento em 4 anos com a economia gerada, dependendo do projeto. Além disso, existem financiamentos realizados por meio de auxílio de bancos públicos e privados.

Como é feita a manutenção?

A durabilidade do sistema depende da manutenção feita. No geral, é preciso apenas de uma ou duas limpezas por ano, conforme a região. Se o local do condomínio recebe muitas chuvas mensais, ela se encarrega de limpar.

Qual os resultados da energia fotovoltaica para os condomínios?

A principal vantagem para quem vive nesse tipo de propriedade é a economia. E não apenas aquela relacionada ao total da conta de luz: quem utiliza essa eletricidade não sofre com inflações e mudanças na bandeira tarifaria das hidrelétricas. Com isso, é possível gerar receitas para o prédio, que pode investir em outras áreas de lazer.

Viu só como implementar painéis solares em condomínios só traz vantagens? Agora que você já sabe que investir nesse sistema pode melhorar o desempenho do empreendimento, coloque essa pauta como prioridade na próxima reunião entre os moradores.

Quer garantir a instalação correta das suas placas solares? Entre em contato conosco para conhecer nossas soluções e equipamentos de ponta. Estamos esperando por você!

Compartilhe:

Voltar ao blog